segunda-feira, 9 de março de 2020

Os "ciclos de 8" do Grão-mestre Leo Imamura


Em 18 de março o Grão-mestre Leo Imamura completou 57 anos de idade. A vida do líder do Clã Moy Yat Sang, um dos herdeiros diretos do Patriarca Moy Yat, sempre foi pautada em ciclos de 8 anos:

- 1o. ciclo - 0 aos 8 anos (1963-1971)
Léo Akio Imamura nasce em São Paulo, capital. Com família de origem japonesa, é filho primogênito de Mioko e Malho Imamura. Tem dois irmãos, Issao e Evandro.

- 2o. ciclo - 8 aos 16 anos (1971-1979)
Aos 8 anos, inicia sua trajetória marcial, nas artes japonesas do Judo e, posteriormente, Karate-do. Além das artes marciais, Leo Imamura é um também um amante do futebol, destacando-se na posição de goleiro.
O jovem Leo como promissor goleiro de futebol.
Na juventude, passa a estudar, com mestres japoneses, o Kobudo, arte marcial originária de Okinawa, que faz uso de cinco armas japonesas: nunchaku, sai, tonfa. bo e kama.

- 3o. ciclo - 16 aos 24 anos (1979-1987)
Com a explosão nos cinemas brasileiros de Bruce Lee, Leo Imamura passa a se destacar como um especialista na arma Nunchaku, chegando a publicar um inédito livro no mercado brasileiro, além de escrever para diversas revistas brasileiras de artes marciais.
Livro sobre Nunchaku que destacou Leo Imamura no cenário nacional.
Toma a decisão de abandonar as artes marciais japonesas, passando à se dedicar exclusivamente ao Ving Tsun (Wing Chun), sob a tutela do Mestre chinês Li Hon Ki.

No período de alistamento militar, torna-se integrante da Polícia do Exército e contribui para o aprimoramento de defesa pessoal das forças armadas brasileiras, além da PM-SP.

Abre a sua primeira escola de Kung Fu, chamada de "Organização Self-defense de Artes Marciais", na Av. Indianópolis, em São Paulo - SP.

Após 8 anos de dedicação no Sistema Ving Tsun, recebe de seu primeiro Si Fu, Mestre Li Hon Ki, uma carta de recomendação para viajar à Hong Kong - China, para se qualificar mestre. Nesssa época, Si Fu Leo estava com escola estabelecida à Av. Cursino, no bairro Jardim Saúde.
Leo Imamura na lápide de Ip Man, em 1987, Hong Kong.
Em maio de 1987, em Hong Kong, torna-se o primeiro latino-americano à ser reconhecido mestre pelas duas históricas organizações de Ving Tsun, fundadas pelo Patriarca Ip Man: Hong Kong Ving Tsun Athletic Association e Yip Man Martial Art Association.

- 4o. ciclo - 24 aos 32 anos (1987-1995)
Na conexão de seu voo São Paulo-Hong Kong, em New York City, visita o famoso bairro de Chinatown, em Manhathan. Ao passar pela 45 East Broadway, decide por entrar na famosa escola do Patriarca Moy Yat.

Após uma rica experiência de Kung Fu com o aclamado discípulo do Patriarca Ip Man, ele ouve do grande mentor: "vá para Hong Kong cumprir seus objetivos. Caso não se satisfaça por lá, poderei aceitá-lo como meu discípulo".

De fato, após rica experiência com mestres descendentes do Patriarca Ip Man, incluindo os filhos, e receber os inéditos títulos de mestre das entidades de Hong Kong, decide antecipar o seu voo e retornar aos EUA, tornando-se discípulo do Patriarca Moy Yat.
Patriarca Moy Yat e seu discípulo Leo Imamura, na escola de NY.
No ato tradicional de discipulado (Baai Si e Hoi Kuen), recebe o nome kung fu Moy Yat Sang, em 27 de maio de 1987.

Abandona o último ano da Faculdade de Direito e ingressa na Faculdade de Educação Física de Santo André. Ao formar-se, logo em seguida, é nomeado no MEC para assumir a Cadeira de Artes Marciais do Ensino Superior, feito inédito no Brasil.

A escola do bairro Jardim Saúde da capital paulista passa à se chamar "Associação Moy Yat Ving Tsun de Kung Fu". Até 1995, houveram três endereços na mesma avenida Cursino.

Em 8/8/88, em sua segunda imersão na escola Moy Yat Ving Tsun de Chinatown, recebe a autorização do Patriarca Moy Yat para fundar a Família Moy Yat Sang, no Brasil.

Em 1989, na terceira temporada em New York, recebe do Patriarca Moy Yat o Jiu Paai (placa tradicional de representação do legado) de número 8 do Clã Moy.

Em 1990, realiza a primeira visita do Patriarca Moy Yat ao Brasil. Leo Imamura autoriza a abertura de escolas no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza (já fechada) e, ainda, Buenos Aires - Argentina.

Si Fu Leo Imamura reconhece Humberto Fortunato e Valter Imanisi como primeiros discípulos formais.

Em 1992, na segunda visita do Patriarca Moy Yat ao Brasil, Leo Imamura torna-se presidente da Federação Paulista de Kung Fu, a maior entidade do gênero no país, e contribui para a formação da Confederação Brasileira de Kung Fu, tornando-se conselheiro.

Em 1994, na terceira visita do Patriarca Moy Yat ao Brasil, casa-se com Vanise Almeida. Com ela, tem dois filhos, Lukas Imamura, nascido em 1996, e Melissa Imamura, nascida em 1999. Atualmente o casal está separado.

Leo Imamura cria um programa de TV, chamado "Mundo Marcial", além de ser colunista de diversas revistas do gênero, dentre elas, a Revista Kiai. No fim dos anos 90, Leo Imamura é destaque na revista norte-americana "Martial Arts Legends", em edição especial do Ving Tsun (Wing Chun).
Grupo de discípulos na fachada da histórica escola da Hípica de Santo Amaro - SP.
Em agosto de 1995, inaugura o headquarters da Moy Yat Ving Tsun da América do Sul, um grande casarão na Hípica de Santo Amaro - SP, tornando-se a maior escola do Clã Moy Yat no mundo.

Ainda em 95, recebe o inédito título de Senior Master 7o. degree, outorgado pelo Patriarca Moy Yat, no ato preparatório da fundação da International MYVT Federation (1996).

- 5o. ciclo - 32 aos 40 anos (1995-2003)
Em 1996, na quarta visita do Patriarca Moy Yat ao Brasil, realiza uma grande cerimônia de discipulado (Baai Si), tornando-se a família kung fu com o maior número de discípulos dentro do Clã Moy.

Em maio de 1996, participa da fundação da International MYVT Federation, como Senior Master, membro fundador da entidade que deu lugar à MYVT-S.S.Association.
Leo Immaura em evento nos EUA que reuniu grão-mestres discípulos diretos do Patriarca Ip Man.
Em 28 de junho de 1997, Leo Imamura viaja pela primeira vez aos EUA com uma comitiva brasileira, formada de discípulos, para prestigiar a aposentadoria do Patriarca Moy Yat, na celebração dos seus 60 anos.

Em 1998, na quinta visita do Patriarca Moy Yat ao Brasil, celebra os dez anos da MYVT no Brasil, em grande evento na cidade do Rio de Janeiro.

Em março de 2000, Leo Imamura viaja para NYC a pedido do Patriarca Moy Yat. Além de participar de reuniões e do histórico seminário do Luk Dim Bun Gwan (bastão longo do Ving Tsun), ele recebe das mãos do patriarca o busto oficial do grande líder da MYVT.
O busto oficial de Moy Yat sendo inaugurado, em 2000.
Em 2000, na sexta e última visita do Patriarca Moy Yat ao Brasil, Leo Imamura arquiteta o Programa Moy Yat Ving Tsun de Inteligência Marcial, após valiosas conversas com o seu mentor. A histórica passagem do patriarca ocorre nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Nessa época, a escola de Brasília inicia às suas atividades. A Argentina seria também palco da visita de Moy Yat, acabando por não ocorrer.

Em 23 de janeiro de 2001, falece o Patriarca Moy Yat. Leo Imamura viaja com grande comitiva e passa a acompanhar, em New York, todo o processo até o funeral, ocorrido somente após 15 dias.

Em dezembro de 2001, Leo Imamura e os demais mestres seniores herdeiros do patriarca, passam à se encontrar no aniversário da Madame Helen Moy, viúva de Moy Yat. Em 2002, Leo Imamura convida sua Si Mo e seu Si Hing, Helen Moy e William Moy, para visitar o Brasil, mostrando a continuidade do vínculo familiar e institucional.

Em 15 de março de 2003, no aniversário de 40 anos de Leo Imamura, ocorre a I Titulação de Mestre da MYVT no Brasil. Na mesma ocasião, o Programa MYVT de Inteligência Marcial é lançado, num evento que reuniu mais de 400 pessoas. Com a titulação dos mestres, a família Moy Yat Sang passa a ser um Clã dentro do grande Clã Moy Yat.

- 6o. ciclo - 40 aos 48 anos (2003-2011)
Em 2004, Leo Imamura continua reestruturando a International MYVT Federation e, para tal, promove a visita ao Brasil do Grão-Mestre Micky Chan, um dos principais discípulos do Patriarca Moy Yat nos EUA (atualmente, Micky reside em Hong Kong).

Em 2006, a obra internacional IP MAN VING TSUN GENEALOGY dá destaque a Linhagem Moy Yat. Leo Imamura aparece com os seus descendentes, comprovando ser a de maior número de discípulos do grande clã.
O Jiu Pai número 8 de Leo Imamura sendo colocado na escola de BH para os 20 anos.
Em 8/8/08 Leo Imamura e seu clã celebra os 20 anos da MYVT no Brasil, em evento sediado na cidade de Belo Horizonte.

Em 2009, após 22 anos de sua primeira visita, retorna à China, acompanhando a Madame Helen Moy e uma comitiva de mais de 30 pessoas, dentre grão-mestres e mestres da MYVT, do Brasil e dos EUA. Nessa turnê, Leo Imamura recebe, junto aos demais mestres, a placa do governo chinês reconhecendo o Ving Tsun como "Patrimônio Cultural Intangível da Humanidade", com a chancela da UNESCO.

Funda a Casa dos Discípulos do Clã Moy Yat Sang, em São Paulo, no intuito de reunir os seus descendentes de primeira e segunda geração, permanecendo até 2019 numa casa do Brooklin Paulista.

- 7o. ciclo - 48 aos 56 anos (2011-2019)
Em 2012, Grão-Mestre Leo Imamura oficializa o Núcleo Madri - Espanha, após anos de trabalho de seu discípulo, Mestre Marcelo Navarro, na implantação da MYVTMI na Europa.

Em março de 2013, Grão-Mestre Leo Imamura completa 50 anos e seu aniversário é celebrado na histórica cidade mineira de São João del Rei - MG. A presença de Madame Helen Moy e os grão-mestres Pete Pajil e Miguel Hernandéz, esses os principais irmãos kung fu dos EUA, além de centenas de convidados, dentre mestres e membros da Moy Yat Ving Tsun do Brasil, Argentina e Espanha.
Leo Imamura e os grão-mestres oficialmente reconhecidos pela federação internacional.
Em 2015, no aniversário de Madame Helen Moy, é reconhecido Grandmaster pela IMYVTF. Nesse mesmo ano, Leo Imamura outorga o título de Mestre Sênior pela primeira vez em seu clã.

Em 2016, participa de viagem da IMYVTF, nos EUA e Canadá, tendo a nova diretoria da federação internacional definida, tendo o novo presidente o grão-mestre sino-canadense Sunny Tang, após 20 anos da fundação da entidade máxima do Clã Moy.

Em 2017, é homenageado pelos 30 anos como discípulo formal do Patriarca Moy Yat (1987-2017).

Grão-mestre Leo Imamura organiza, em dezembro de 2017, o aniversário da Madame Helen Moy, em evento sediado em Brasília, capital federal. Na ocasião, o Grão-Mestre Henry Moy toma a pose como presidente da IMYVTF.

Em 2018, cria o canal do YouTube denominado "Kung Fu Life", a fim de fornecer ao grande público sua larga experiência no campo das artes marciais e do pensamento clássico chinês, numa linguagem mais moderna e acessível.
Em 28 de junho de 2019, recebe os grão-mestres William Moy e John Tsang no Brasil, fundando o Instituto Moy Yat, sediada em São Paulo, capital, à rua New York, com o objetivo de preservar toda herança do Patriarca Moy Yat e seus descendentes oficiais.

Atualmente, além de centenas de discípulos formais, são esses os mestres seniores e mestres qualificados reconhecidos ao longo da carreira do líder do Clã Moy Yat Sang:

Mestres Seniores
Renato Almeida, Anderson Maia, Nataniel Rosa, Julio Camacho, Ricardo Queiroz, Leandro Godoy, Ursula Lima, Fabio Gomes, Washington Fonseca, Marcelo Navarro e Celso Grande (in memoriam)

Mestres Qualificados (discípulos de 1a. geração de Moy Yat Sang)
Paulo Freitas, Rogério Baeta, Leonardo Mordente, Fábio Matshushita, Marcello Abreu, Paulo Camiz Filho, Domenico Venturelli, Ernesto Lázzaro, Marco A. Fernandes, Flávio Caxiano, Peter Hutchinson, Guilherme Freitas, Rafael Castro, Pedro Valadão, Felipe Soares, Diego Guadelupe, Rodrigo Giarola, Tiago Quintela, Maria Cristina Azevedo, Paul Liu, Fabio Campi e Ricardo Osse (in memoriam).   

Mestres Qualificados (discípulos de 2a. geração de Moy Yat Sang)
Leonardo Reis e Thiago Pereira; Herbert Moraes e Francisco Ferrero; Pedro Lamarão.

Mestrandos (discípulos de 1a. geração de Moy Yat Sang)
Geraldo Monnerat, Ana Paula Mendonça, Liana Lott, William Nogueira, Bruna Piantino, Ivan Giarola, Oscar Lima e Maurício Arruda (e outros).

Mestrandos (discípulos de 2a. geração de Moy Yat Sang)
Gabriel Mendes, Shade Naser, Carlos Rabello, Alessandro Pedreira; Joaquin Rodrigues; Pedro Gontijo, Paulo de Figueiredo, Pedro Naves e Helder Lima (e outros).

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Tributo ao Grão-Mestre Ip Ching (1936-2020)


O círculo marcial lamentou profundamente a perda do Grão-Mestre Ip Ching (1936-2020), filho mais novo do Patriarca Ip Man (1893-1972), falecido na passagem do ano novo chinês, no últmo dia 25 de janeiro, em sua residência, em Hong Kong. 
Segue abaixo uma breve amostra da rica jornada do renomado mestre e artista marcial, mundialmente respeitado por sua sabedoria e exemplo como ser humano.

1936 - Nasce em Foshan, sul da China, cidade natal também do pai e de toda família Ip. Seu irmão mais velho, Ip Chun, já contava com 12 anos de idade. A família Ip gozava de grande prestígio e era considerada uma elite da China Meridional.

1937 - Começa a guerra sino-japonesa e o Patriarca Ip Man perde o seu cargo policial, como comandante da guarda da cidade de Foshan, mudando radicalmente o modo de vida de toda família.

1945 - As tropas japonesas se retiram da China. Com o país destruído, Ip Man recomeça sua vida, além de ensinar Ving Tsun ao seu filho Ip Chung. Ip Ching, ainda criança, acompanha os passos do pai e do irmão mais velho, tendo o seu primeiro contato na prática do Kung Fu.

1949 - O ditador Mao Tse Tung toma a China e expulsa os seus opositores. O Patriarca Ip Man, como um herdeiro de família aristocrata, tem todos os bens e herança familiar confiscadas e se vê obrigado a fugir do continente, imigrando para a então ilha britânica de Hong Kong, deixando esposa e os quatro filhos em Foshan. Ip Ching, então com 13 anos, passa a ser cuidado somente por sua mãe e irmãos.

1962 - Após o falecimento da mãe e a chamada "revolução cultural maoísta", que empobreceu toda a população chinesa, Ip Chun e Ip Ching decidem fugir e irem ao encontro do pai, em Hong Kong. Foi nesse momento que o Patriarca Ip Man iniciava uma adequada transmissão do Ving Tsun aos filhos, dentro de uma rotina diária de contato.

1967 - Os filhos do patriarca Ip Man, juntamente com os principais discípulos de Hong Kong, organizam o estatuto para a fundação da Hong Kong Ving Tsun Atlhetic Association, a primeira entidade formal de Kung Fu, reconhecida pelo governo de Hong Kong no ano seguinte, em 1968.
1971 - Ip Chun e Ip Ching, já maduros e mestres formados pelo pai, esse em idade avançada e na luta contra um câncer, decidem por fundar outra entidade, a Yip Man Martial Art Association, sendo ela, juntamente com a HKVTAA, consideradas entidades históricas do Ving Tsun Kung Fu.

1 de dezembro de 1972 - Falece o Patriarca Ip Man. Os filhos organizam o funeral, que contou com milhares de pessoas, sendo o corpo sepultado no alto de uma montanha de Fang Lin, New Territories, em Hong Kong. Ip Ching permanece residindo, com esposa e filhos, no mesmo apartamento em que cuidou do pai, na Tung Choi Street, Kowloon.
Nessa época, Ip Ching ensinava Ving Tsun à poucos, cuidava da rotina diária do pai e ainda empreendia uma fábrica nos limites de Hong Kong.

1990 - Os grão-mestres Ip Ching e Moy Yat, na cidade natal do Ving Tsun, Foshan, numa das muitas viagens à China entre os dois amigos e fraternos irmãos-kung fu.

1994 - Ip Ching, aos 58 anos de idade, decide se aposentar das atividades industriais e passa a se dedicar exclusivamente à transmissão do Ving Tsun, tendo ele já com vários alunos estrangeiros e projeção internacional. Em Hong Kong, ele continuava transmitindo na sede da HKVTAA e privativamente em sua casa, além de ministrar seminários em várias partes do mundo.

1996 - Grão-mestre Ip Ching é convidado, como honorável mestre palestrante, ao evento internacional da HKVTAA, em Ohio - EUA, o primeiro realizado fora de Hong Kong - China.

1997 - A conceituada revista internacional Inside Kung Fu publica uma histórica matéria sobre o futuro do Ving Tsun, enaltecendo o trabalhos dos grão-mestres Ip Chun, Ip Ching e Moy Yat, como legítimos transmissores da herança do Patriarca Ip Man.

2000 - Na conferência mundial da HKVTAA, Grão-mestre Ip Ching apresenta a rara forma avançada "Biu Ji", impressionando centenas de participantes, em Hong Kong.

2002 - Inauguração do Museu de Ip Man, em Foshan, cujo filhos tiveram honrosa homenagem.

2003 - Lança a obra chinês-inglês "Ving Tsun Bible by Ip Ching", em conjunto com o seu discípulo, Si Fu Eric Li.

2005 - Em parceria com discípulos estrangeiros, lança várias obras bilíngues.

2009 - Uma das muitas visitas da Sra. Helen Moy à Hong Kong, sempre recebido pelo Grão-mestre Ip Ching, na escola HKVTAA.

2012 - Aos dez anos da abertura do Museu de Ip Man, em Foshan, Grão-mestre Ip Ching é homenageado, juntamente com o seu irmão, Grão-mestre Ip Chun.

Em novembro de 2012, o mestre Anderson Maia, juntamente com os mestres brasileiros Julio Camacho, Leonardo Mordente e Peter Castro, além dos tutores Pedro Gontijo e Paulo de Figueiredo, são recebidos pelo Grão-mestre Ip Ching em sua residência, o histórico apartamento da Tung Choi Street, onde também morou o Patriarca Ip Man.

2018 - É homenageado no "Wing Chun World Championship", primeiro torneio esportivo oficial de Ving Tsun pela confederação chinesa, realizado em Foshan no dia 1 de dezembro, em tributo ao Patriarca Ip Man.
25 de janeiro de 2020 - Falece em sua residência, no primeiro dia do calendário sino-lunar. Devido as tradições do ano novo chinês, o seu funeral ocorre somente 15 dias depois, sendo o corpo do grão-mestre Ip Ching velado em Hong Kong. A esposa, os três filhos e netos recebem os cumprimentos de mais de mil pessoas, de todas as partes do mundo.

Trecho da histórica entrevista do Grão-mestre Ip Ching (1936-2020):